terça-feira, 2 de outubro de 2012

SEREMOS ESCRAVOS DAS MÁQUINAS? OU JÁ SOMOS?



Escravos das Maquinas? Nós?


----------------------~(@)~----------------------
TECNOLOGIA CAUSA DEPENDÊNCIA?
UM ASSUNTO QUE POSSUI BASICAMENTE DOIS LADOS: QUEM CONCORDA E QUEM DISCORDA!!!
02/10/2012
POR WOLFGANG FÊNIX
----------------------~(@)~----------------------

Olá a todos. Hoje irei abrir espaço para debater um tema com o qual esbarrei na comunidade mantida pelos RatosLetrados no FaceBook: EscrevaELeia; a senhora minha esposa postou um texto - que por sua vez foi extraído de outra fonte - que fala sobre a atual dependência que as pessoas tem dos famosos gadgets - ou artigos eletrônicos em geral e em especial os que permitem acesso à sempre polêmica Internet. O título do texto "A Internet como forma de Auto-Amputação" dá pistas de qual é a postura do autor em relação a esta aparente dependência de consumir e usar os artigos tecnológicos.

Abaixo segue um trecho do texto e o link para quem quiser o ler na integra (em sua fonte e no EscrevaELeia). Estou deixando também a opinião deste que vos escreve sobre o que penso deste tema. Claro que não estou deixando aí a minha opinião para fazer da mesma uma verdade absoluta - muito longe disso, pois como disse no inicio deste post minha intenção é abrir um debate sobre o tema, e neste caso espero ansioso que os leitores dos Ratos Letrados deixem aqui a sua opinião.


A Internet como forma de auto-amputação

A Internet nunca esteve tão disseminada, tão acessível, e nossa capacidade de aprendizado 
nunca esteve tão ameaçada. Hoje, qualquer um tem um celular no bolso, conectado, que 
permite acesso a uma (quase) infinidade de informações em instantes. Para ver as últimas 
notícias, consultar mapas, ou ler um dos 19 milhões de artigos da Wikipédia, basta alguns 
segundos – a facilidade desse momento era impensável para a geração anterior... 
(Leia no EscrevaELeia)

(Fonte



...E aí eu pergunto: isso é evolução ou retrocesso?



Será que estamos mesmo sendo ameaçados?

Respondendo a pergunta; nem "Evolução" no sentido de progresso e nem "Retrocesso" no sentido de regresso. A Evolução a qual o texto se refere é um conceito para expressar "Adaptação". Adaptação não trata-se de ser bom ou ruim em termos absolutos; uma adaptação só é boa ou ruim dentro de um contexto.

Ora, se o homem contemporâneo não se sai bem na floresta, o homem antigo não se sairá nas grandes metrópoles. Além do que, a capacidade do cérebro de tomar como extensão do corpo uma ferramenta é já algo muito antigo em nossa biologia; os samurais, por exemplo, tinham suas "katanas" como uma extensão de seu corpo.

O grande Antônio Francisco Lisboa (mais conhecido como "Aleijadinho") tinha suas ferramentas de escultor como extensões de seu corpo. Hoje, os eletrônicos (ou gadgets), são ferramentas as quais já não imaginamos nos faltando. As usamos com muita frequência e nos sentiríamos órfãos sem elas.

Mas nos adaptaríamos sem elas se a situação se apresentasse. Não concordo plenamente também com a ideia 'o homem aprendeu a escrever para poder esquecer'.

Creio que a mesma ideia também poderia ser interpretada de outra forma: o homem aprendeu a escrever para poder lembrar-se de ainda mais coisas.

Ora, não é porque temos uma ferramenta que facilita nossas vidas que vamos nos contentar em fazer menos - pois temos com esta ferramenta a possibilidade de fazer ainda mais (claro que nem sempre é o que vemos, os jovens de hoje não parecem querer usar as facilidades de seu tempo para irem mais longe que seus antepassados, mas isso não é um mal das ferramentas; é um mal cultural que já vem sendo transmitido de geração para geração, não pelas novas ferramentas, mas sim pelas próprias pessoas).

Para quem quiser se aprofundar mais no tema eu também recomendo este texto, publicado no Jornal da Ciência.

É isso aí pessoal, espero que tenham gostado! Não deixem de comentar e participar do Blog.

Por hora é só! Até o próximo Post.

Nenhum comentário: